A Riberalves

Loja Online

Um pouco
da nossa história

Since1985
Bacalhau Riberalves. Uma foto da família Alves e um pouco da história dessa empresa familiar.

A história começou nos anos 60 do século passado, com a venda de bacalhau, porta a porta, pelas ruas da baixa de Lisboa. João Alves saía com o pai desde uma pequena mercearia em São Pedro da Cadeira, Torres Vedras, Oeste de Portugal, para ajudar na distribuição dos fardos de bacalhau.

O negócio do bacalhau marcou-o desde sempre e um dia mais tarde, em 1985, já depois de se estabelecer por conta própria e já inspirado no nome dos dois filhos, Ricardo e Bernardo Alves, João Alves constituiria a empresa que viria a tornar-se referência no setor do bacalhau: A Riberalves.

No início, a Riberalves era uma empresa do setor de distribuição, um Cash & Carry com uma aposta significativa no setor alimentícios e com o bacalhau assumindo um papel importante na sua atividade, ao ponto de ser necessário alugueis de secas de bacalhau externas.

Seria a partir de 1990, depois da venda desse Cash & Carry, que João Alves decidiria apostar exclusivamente na indústria e transformação de bacalhau, lançando o primeiro grande investimento da Riberalves: a construção da unidade industrial do Carvalhal, também em Torres Vedras, hoje a sede da empresa, onde ainda hoje é coordenada toda a atividade.

1976

João António Alves, com 26 anos de idade, concretiza o objetivo de estabelecer-se como comerciante, adquirindo ao  sogro a Garrafeira do Oeste, uma casa histórica no centro de Torres Vedras, oeste de Portugal. Regressado da Guerra Colonial Portuguesa conhecida como Ultramar, e já casado com Manuela Alves,  dedica-se ao comércio de bebidas e produtos alimentícios, entre eles o bacalhau.

1985

Nasce a Riberalves. João António Alves lança a empresa, deixando as instalações no centro de Torres Vedras e expandindo-se para um Cash&Carry às portas da cidade. Estão criadas as condições para o desenvolvimento da atividade.

1990

João António Alves vende o negócio do Cash&Carry e parte das instalações, ao grupo português Jerónimo Martins. A estratégia passa por dedicar a Riberalves exclusivamente ao negócio do Bacalhau. Inicia-se o aluguel de secas de bacalhau. Paralelamente, é fundada a Riberalves Imobiliária, para gestão de investimentos no ramo da construção.

1993

Nasce a primeira unidade Industrial da Riberalves, a nova “Casa Mãe” da empresa, numa área total de 10 mil metros dedicada exclusivamente à produção de Bacalhau. Está localizada no Carvalhal, em Torres Vedras, Oeste de Portugal e é a partir dali que o Bacalhau Riberalves chega a todo mundo.

1996

A Riberalves dá o salto para a internacionalização, iniciando a distribuição no Brasil. Mais tarde, o país virá a assumir-se como principal mercado de exportação da empresa, seguido da Angola e do chamado “Mercado da Saudade”.

1998

O Grupo Riberalves acolhe uma nova empresa, com a aquisição da Novo Dia Cafés, herdeira da Central Cafeeira de Torres Vedras, nome de referência do setor do café na Região Oeste. João António Alves aposta numa nova área de negócio que também o apaixona.

2000

A Riberalves propõe uma histórica reinvenção do consumo de Bacalhau, lançando o Bacalhau Ao ponto de preparo, já demolhado. Uma proposta que une comodidade com a qualidade e o sabor do melhor bacalhau de cura portuguesa.

2002

João António Alves e o empresário Carlos Marques da Costa assinam, num pequeno pedaço de papel, o acordo de compra e venda da Comimba, uma unidade de transformação de Bacalhau na Moita. Aqui, a Riberalves irá investir mais de 20 milhões de euros no pioneiro processo do Bacalhau Ao ponto de preparo, apostando nas novas tendências e na transição do consumo para o bacalhau já demolhado. Nasce, assim, a maior fábrica mundial dedicada exclusivamente à transformação de Bacalhau, com 40 mil metros de área produtiva.

2004

A Riberalves adquire a fábrica Mar Alto, em Palhais (Barreiro), Margem Sul do Rio Tejo, com o objetivo de reforçar a capacidade de produção de bacalhau, investindo 4 milhões de euros.

2007

É constituída a Riberalves Angola e nascem as primeiras instalações da empresa, em Luanda, numa aposta naquele novo mercado.

2008

É constituída a Riberalves Brasil. O maior mercado de exportação da empresa passa a contar com uma estrutura comercial sediada no país, em apoio aos principais players de distribuição, integrando uma equipa que virá a contar com mais de 30 colaboradores.

2010

Primeira vindima do projeto AdegaMãe. Nasce uma nova área de negócio dentro do Grupo Riberalves, no setor do vinho e enoturismo, em concretização de um sonho antigo da família Alves. O nome, que tornou-se uma referência na Região de Vinhos de Lisboa, é um tributo dos homens da família à matriarca, Manuela Alves.

2013

A Riberalves avança com um investimento de 5 milhões de dólares na Angola, para implementação de uma indústria local, capaz de responder à procura crescente daquele mercado.

 

2017

A empresa NovoDia Cafés, totalmente reestruturada, com nova imagem, novos produtos e forte implementação no eixo Lisboa-Leiria, é alvo de aquisição pelo Grupo Newcoffee Company, um dos principais players do setor do café em Portugal.

2020

A Riberalves volta a inovar, lança uma referência de Lombos de Bacalhau Ao ponto de preparo sem espinhas, bem como uma linha de produtos pré-preparados, inspirados em receitas tradicionais de bacalhau.

Uma grande família

A Riberalves é uma empresa 100% portuguesa, de origem familiar, que preserva os valores instituídos pelos seus fundadores. Ricardo e Bernardo Alves, os nomes que inspiraram a o nome da empresa, constituem juntamente com os pais, João Alves e Manuela Alves, a estrutura administrativa de um grupo vem desenvolvendo-se ano após ano, somando hoje cerca de 500 colaboradores.

Mais do que uma empresa, a Riberalves tornou-se uma grande família que vem compartilhando com os portugueses e com os consumidores de bacalhau do mundo todo, uma extraordinária paixão.

Missão

Honrar a história, a tradição, a qualidade e o sabor do Bacalhau português, compartilhando com as famílias de todo o mundo a paixão por produtos alimentícios saudáveis, sustentáveis, ajustados às necessidades dos consumidores.

Visão

Uma empresa reconhecida globalmente, pela paixão e liderança na produção de Bacalhau, e pelo desenvolvimento de novos produtos, sustentáveis e de elevada qualidade.  

A maior fábrica mundial do setor

A Riberalves produz 25 mil toneladas de bacalhau por ano, o equivalente a cerca de 8% a 10% de todo o bacalhau pescado no mundo. A capacidade produtiva da empresa conheceu um forte impulso a partir do ano 2000, após o investimento na unidade industrial da Moita, transformada naquela que é hoje a maior unidade mundial a operar exclusivamente no setor do bacalhau. 

Nesta unidade, a Riberalves tem implementada tecnologia própria, desenvolvida para garantir a produção do Bacalhau Demolhado Ultracongelado – Ao ponto de preparo, uma categoria de produto que pela sua qualidade e caráter prático, permitiu reinventar o consumo do que é conhecido em Portugal como o “fiel amigo” e assim, apontar a novos mercados. 

A reinvenção do consumo de bacalhau

É exatamente na unidade industrial da Moita, na margem sul do Rio Tejo, próximo a Lisboa, que a Riberalves concentra o processo produtivo do Bacalhau Demolhado Ultracongelado – Ao ponto de preparo. Produto desenvolvido desde o ano 2000, e graças à sua qualidade e caráter prático, o Bacalhau ao ponto de preparo tem sido uma preferência dos consumidores. Famílias mais jovens, bem como dos restaurantes e dos mais variados mercados internacionais, solucionando os constrangimentos da demolha e congelação caseira, garantido ao mesmo tempo o melhor Bacalhau de Cura Portuguesa.

Uma paixão de Portugal para o mundo

Empresa líder num mercado português muito maduro e exigente, a Riberalves prima pela qualidade e inovação, desenvolvendo novos produtos que têm vindo a permitir entrar progressivamente em novos mercados. 

A presença da empresa não se esgota nas fronteiras nacionais – a Riberalves está em mais de 20 países, exportando 25% da sua produção para o chamado “Mercado da Saudade”, junto das comunidades portuguesas ou da cultura portuguesa.